Um Estudo de Acompanhamento de 5 Anos de Coroas Metalocerâmicas em Incisivos Centrais Superiores em Pacientes com Diferentes Biótipos Periodontais


O objetivo deste estudo clínico prospectivo foi avaliar os resultados de restaurações de coroas metalocerâmicas em incisivos centrais superiores para pacientes gengivais em uma população chinesa. Cem coroas metalocerâmicas unitárias foram fabricadas para 100 pacientes (50 para biótipo gengival fino e 50 para biótipo gengival espesso) de abril de 2007 até outubro de 2007; elas foram avaliadas de acordo com os critérios da World Dental Federation no início do estudo e anualmente em todos os exames de acompanhamento por 5 anos. A recessão também foi registrada no mesmo momento. A taxa isenta de falha durante o ensaio clínico de 5 anos para o biótipo gengival fino (78,0%) foi significativamente menor em comparação com o biótipo gengival espesso (94,0%; P = 0,02). Sete coroas foram classificadas como falhas devido a problemas estéticos em pacientes com o biótipo gengival fino. Os dentes restaurados com o biótipo gengival fino apresentaram maior recessão gengival (1,09 ± 0,22 mm) do que os dentes controle(0,31 ± 0,16 mm; P = 0,01). O biótiopo periodontal foi um fator que exerceu efeito significativo na avaliação de coroas.