Túnel Fechado Lateralmente Para o Tratamento de Recessões Mandibulares Profundas Isoladas: Técnica Cirúrgica e Relato de 24 Casos


A cobertura previsível de recessões gengivais mandibulares profundas isoladas é um dos procedimentos mais desafiadores na cirurgia periodontal plástica-estética, e dados limitados estão disponíveis na literatura. O objetivo deste trabalho é apresentar a lógica, o procedimento passo a passo e os resultados obtidos em uma série de 24 pacientes tratados por meio de uma nova técnica cirúrgica (o túnel fechado lateralmente [TFL]) projetado especificamente para recessões mandibulares isoladas. Um total de 24 pacientes saudáveis (21 mulheres e 3 homens, com idade média de 25,75 ± 7,12 anos) exibindo uma única recessão gengival mandibular profunda Classe I de Miller (n = 4), II (n = 10) ou III (n = 10) ≥ 4 mm foi tratado consecutivamente com TFL em conjunto com um derivado da matriz de esmalte (DME) e enxerto de tecido conjuntivo subepitelial palatino (ETCS). Os seguintes parâmetros clínicos foram avaliados no início e 12 meses de pós-operatório: profundidade de sondagem (PS), nível clínico de inserção (NIC), recobrimento radicular completo (RRC), recobrimento radicular médio (RRM), profundidade de recessão (PR) e largura de tecido queratinizado (LTQ). A variável de desfecho primário foi RRC. A morbidade pós-operatória foi baixa e não ocorreram complicações, como sangramento, infecções/abscessos ou perda de ETCS. Aos 12 meses, o RRC foi obtido em 17 dos 24 defeitos (70,83%), enquanto nos 7 restantes os defeitos de RC correspondiam a 80% a 90% (em 6 casos) e a 79% (em 1 caso). Dos 17 defeitos exibindo RRC, 12 eram incisivos centrais e 5 eram caninos. Com relação ao tipo de defeito, o RRC foi encontrado em 3 dos 4 Classe I,de Miller, 8 dos 10 Classe II e em 6 dos 10 defeitos Classe III. A PR média variou de 5,14 ± 1,26 mm no início para 0,2 ± 0,37 mm aos 12 meses, enquanto o RRM foi de 4,94 ± 1,19 mm, representando 96,11% (P <0,0001). A LTQ média aumentou de 1,41 ± 1,00 mm no início para 4,14 ± 1,67 mm (P < 0,0001) aos 12 meses, gerando um ganho de LTQ de 2,75 ± 1,52 (P < 0,0001). Não houve alterações estatísticas significativas na PS média ocorreu após a cirurgia de recobrimento radicular (1,8 ± 0,2 mm no início do estudo e 2,1 ± 0,3 mm aos 12 meses). Os presentes resultados sugerem que o TFL é uma abordagem valiosa para o tratamento de recessões gengivais inferiores, profundas e isoladas na mandíbula Classe I, II e III de Miller.