Três Anos de um Protocolo de Tratamento Periodontal Não Cirúrgico para Observar Resultados Clínicos em Bolsas ≥ 6 mm: Uma Série Retrospectiva de Casos


Um total de 25 pacientes foi tratado com um protocolo de tratamento periodontal não cirúrgico (PTPNC) consistindo de 4 consultas (três dentro de uma semana e uma aproximadamente 30 dias depois). Instrumentação periodontal não cirúrgica foi implementada, com o uso adjunto de lasers de diodo (comprimento de onda de 808 ou 980 nm). Os pacientes foram agendados para visitas de retorno a cada 3 meses e reavaliação 1 ano após PTPNC. Eles foram subsequentemente monitorados a intervalos de 4 meses nos 2 anos restantes de acompanhamento do período de manutenção. No total, 698 dentes (210 de raízes múltiplas e 488 unirradiculares) foram incluídos no estudo. O sangramento à sondagem médio foi de 43% no início e diminuiu para 12% em 12 meses e para 8% em 3 anos. A profundidade clínica de sondagem ≥ 6 mm inicial (PCS) em dentes unirradiculares diminuiu de 6,2 mm no início para uma média de 1,8 mm em 12 meses e permaneceu em 1,8 mm em 3 anos, com um ganho médio de nível de inserção clínica (NIC) de 4,4 mm. Em dentes de raízes múltiplas, a PCS diminuiu de 6,7 mm para uma média de 3,9 mm em 12 meses e 3,6 em 3 anos, com um ganho médio de NIC de 2,9 mm. A recessão global média foi de 0,3 mm no início, 0,1 mm em 1 ano e 0,3 mm no acompanhamento de 3 anos. No período de acompanhamento de curto prazo, a implementação uniforme e consistente do PTPNC usado aqui com o uso adjunto de lasers de diodo pareceu resultar em benefícios terapêuticos, níveis de tecido mole periodontal estáveis e estéticas satisfatórias em pacientes com periodontite crônica moderada a avançada. O protocolo presente é relevante como uma opção de tratamento para pacientes sistemicamente comprometidos, aqueles que recusam ou postergam tratamentos cirúrgicos, ou que apresentam outras limitações.