Tratamento de Defeitos Periodontais Intraósseos Utilizando β-TCP Isolado ou em Combinação Com rhPDGF-BB: Um Estudo Clínico e Radiográfico Randomizado Controlado


A necessidade de aumentar a previsibilidade da regeneração periodontal tem estimulado os pesquisadores e clínicos a empregar proteínas estimuladoras de células em combinação com arcabouços osteocondutores, com base nos princípios de engenharia tecidual. O objetivo deste estudo clínico e radiográfico foi comparar o potencial de regeneração da combinação de fosfato β-tricálcio (β-TCP) e fator de crescimento derivado de plaquetas humano recombinante BB (rhPDGF-BB) no enxerto de defeitos intraósseos com a consagrada técnica de enxerto ósseo apenas com β-TCP. Um total de 30 sítios de 15 pacientes com defeitos infraósseos em dois quadrantes diferentes foram selecionados, e os sitios foram divididos aleatoriamente nos sítios teste (rhPDGF + β-TCP) e controle (β-TCP sozinho) usando um desenho de boca dividida. Os parâmetros clínicos, incluindo profundidade de sondagem, nível clínico de inserção e recessão gengival, foram registrados no início do estudo, aos 6 meses e aos 9 meses. A avaliação radiográfica foi realizada para avaliar o preenchimento do defeito, a alteração na altura da crista alveolar e o percentual de preenchimento do defeito no início do estudo, aos 6 meses e aos 9 meses. Ambos os grupos experimentais apresentaram redução estatística significativa na profundidade de sondagem de bolsa e ganho de nível clínico de inserção. Na comparação intergrupos, os sítios tratados com rhPDGF + β-TCP demonstraram uma redução significativa da profundidade da bolsa (P < 0,05) e maior ganho de nível clínico de inserção (P < 0,01). A porcentagem média de preenchimento do defeito foi significativamente maior em sítios teste em comparação com os sítios controle aos 6 e 9 meses (P < 0,01). Sítios tratados com rhPDGF + β-TCP demonstraram um ganho significativo na altura da crista alveolar aos 6 e 9 meses (P < 0,05), enquanto sítios tratados com β-TCP demonstraram reabsorção da crista. Ambos os grupos demonstraram potencial de aumentar a regeneração periodontal; no entanto, na comparação entre os dois grupos, os resultados obtidos com rhPDGF + β-TCP foram significativamente melhores tanto nos parâmetros clínicos como radiográficos.