Relacionamento Entre Biótipos Periodontais Clínicos e Histológicos em Seres Humanos


Foram realizadas avaliações histológicas e histomorfométricas de biópsias gengivais de pacientes que apresentaram um biótipo gengival espesso ou fino. Foram obtidas amostras de biópsia gengival de espessura total e processadas para avaliações histológicas e histométricas. A espessura da mucosa queratinizada ou da gengiva foi maior no biótipo espesso. Especificamente, a camada de tecido conjuntivo era mais espessa sem alteração na espessura epitelial. Em conclusão, a transparência gengival parece ser um método adequado, clinicamente útil, para classificar o biótipo gengival. O biótipo gengival fino se manifesta pela redução da espessura do tecido conjuntivo; portanto, a conversão ou o aumento do biótipo podem se basear no aumento da porção do tecido conjuntivo dos tecidos gengivais