Relação Entre a Largura da Zona de Tecido Queratinizado e a Espessura do Tecido Gengival na Maxila Anterior


O objetivo deste estudo foi avaliar se existe uma correlação positiva entre a
largura da zona de tecido gengival queratinizado e sua espessura. Caninos,
incisivos laterais e incisivos centrais superiores do lado direito de 60 pacientes
(30 homens, 30 mulheres) entre as idades de 20 e 35 anos foram examinados.
Usando um espaçador endodôntico com um cursor de borracha e um paquímetro
digital com resolução de 0,01 mm, os valores da largura da zona de tecido
gengival queratinizado e espessura gengival foram obtidos. Observou-se que
o incisivo lateral possui a maior zona média de tecido gengival queratinizado
(5,54 ± 1,09 mm), seguido pelo incisivo central (4,62 ± 1,02 mm) e canino (4,32
± 1,33 mm). A média da espessura gengival foi maior no incisivo central (1,17 ±
0,20 mm), seguida do incisivo lateral (1,04 ± 0,24 mm) e canino (0,87 ± 0,27 mm).
Não houve diferença estatística significativa para a largura média da zona de
tecido gengival queratinizado e espessura gengival entre homens e mulheres.
Correlação positiva entre a espessura gengival e a largura da zona de tecido
gengival queratinizado foi observada no canino (Pearson r = 0,398, P < 0,05),
incisivo lateral (Pearson r = 0,369, P <0,05) e incisivo central (Pearson r = 0,492,
P <0,05) superiores. Nos pacientes de 20 a 35 anos, houve correlação positiva
entre a espessura gengival e a largura da zona de tecido queratinizado gengival
para o canino, incisivo lateral e incisivo central superiores do lado direito.