Princípios para o Aumento Vertical do Rebordo na Mandíbula Posterior Atrófica: Uma Revisão Técnica


A regeneração óssea guiada tornou-se mais previsível devido aos avanços nas ciências dos materiais. No entanto, o aumento vertical do rebordo (AVR) continua a ser um desafio potencial devido à complexidade do manejo de tecidos moles. Isso se torna mais complicado na mandíbula atrófica posterior devido ao acesso limitado e ao menor suprimento sanguíneo. Como tal, uma série de elementos críticos deve ser levada em consideração no planejamento do tratamento. As estruturas anatômicas comprometem potencialmente eventos adversos intra-operatórios, como sangramento ou distúrbios neurossensoriais. A inserção do milo-hóideo geralmente compromete o avanço do retalho lingual. Esta revisão técnica resume os fatores críticos a serem avaliados antes do AVR para a mandíbula posterior e fornece uma abordagem sequenciada ao enxerto ósseo e a obtenção de um retalho sem tensão para regeneração óssea bem-sucedida e estabilidade do tecido peri-implantar a longo prazo. (Int J Periodontics Restorative Dent – edição em português