Manejo do Alvéolo Pós Extração com Expansão da Tábua Vestibular: Resultados Preliminares de uma Nova Técnica


O objetivo primário deste estudo piloto foi avaliar uma nova técnica de preservação alveolar envolvendo a expansão intencional da tábua óssea vestibular do alvéolo pós extração utilizando uma corticotomia interna sem elevação de retalho e o uso de biomateriais. Um total de 11 pacientes requerendo extração dental foram incluídos nesse estudo. O objetivo da técnica foi manter ou melhorar o contorno dos tecidos duros e moles da crista após extração dental. Todos os sítios cirúrgicos cicatrizaram sem intercorrências. Foram observadas alterações significativas na dimensão do osso alveolar na região coronal da crista (−1,4 ± 0,9 mm); porém, foi apenas ligeiramente menor que os níveis médio (−0,35 ± 0,7 mm) e apical (−0,3 ± 0,8 mm) (P > 0,05). As alterações dimensionais da crista foram significativamente maiores na porção vestibular do que na porção palatina em todos os pacientes. A reabsorção óssea vertical não foi significativa. No que diz respeito ao contorno do tecido mole, a distância horizontal entre o perfil vestibular pré e pós-operatório variou de 0,94 a −2,88 mm. A técnica proposta de preservação da crista pode ajudar na manutenção do volume da crista cicatrizada, mas não pode prevenir completamente as alterações de contorno após a extração dentária.