Fibrina Rica em Plaqueta de Choukroun Como um Biomaterial de Enxerto Autógeno em Cirurgia Prévia à Implantação: Resultados Preliminares de um Estudo Randomizado e Histomorfométrico de Boca-Dividida em Humanos


Este estudo teve como objetivo testar a hipótese nula que a fibrina rica em plaquetas (PRF), como um material de enxertia utilizado imediatamente após extração, produz tecido ósseo histomorfometricamente semelhante ao osso controle, formado após cicatrização sem enxertia. Os autores realizaram um estudo de boca dividida onde compararam amostras de biópsias de osso humano coletadas de áreas enxertadas com PRF e não enxertadas. Oito biópsias de osso humano foram removidas com sucesso de quatro pacientes. A porcentagem média ± e o desvio padrão (DP) de tecido osteóide neoformado foi 9,9% ± 5,9% para amostras de PRF, 4% ± 2,1% para amostras derivadas dos sítios de controle (P = 0,089; 95% intervalo de confiança [IC] 4,5–18,1 e 1,6–6,6, respectivamente). A porcentagem média ± e o DP de novo osso mineralizado foi 40,8% ± 10,3% para as amostras de PRF e 43,9% ± 16,8% para as amostras controle (P = 0,72, 95% IC, 33,4–55,6 e 19,3–55,5, respectivamente). A proporção de osso neoformado e tecido fibrovascular para as amostras de PRF e grupo controle foi 51%:49% e 48%:52%, respectivamente. Dentro das limitações desse estudo, a hipótese nula não pôde ser rejeitada. O osso derivado de PRF não foi histologicamente diferente do osso controle.