Estudo Comparativo Clínico e Histológico de Enxerto de Tecido Conjuntivo Subepitelial e Membrana de Matriz Extracelular: Um Estudo Boca Dividida Preliminar em Humanos


O objetivo deste estudo de boca dividida randomizado e controlado foi comparar o comportamento da membrana de matriz extracelular (MME) com enxerto autógeno de tecido conjuntivo subepitelial (ETCS) quando usada como uma barreira biológica para o recobrimento de áreas com instalação imediata de implante após expansão modificada de rebordo desdentado. Um total de cinco pacientes entre 40 e 59 anos (três homens, duas mulheres) foi selecionado para este estudo e aleatoriamente dividido em um dos dois grupos: MME (teste) ou ETCS (controle). Os tratamentos foram determinados aleatoriamente na mesma sessão cirúrgica. Um total de 29 implantes de titânio rosqueáveis foi inserido. Exames clínicos e profilaxia foram realizados em sessões de controle 2, 4 e 16 semanas após a cirurgia. Uma biópsia de tecido mole foi realizada em ambos os lados 4 meses após a cirurgia. Este estudo indica que os dois procedimentos foram efetivos e previsíveis para a cobertura como membrana de barreira após expansão óssea e instalação imediata de implante. O uso de MME pode ser uma alternativa válida ao ETCS como uma barreira biológica em procedimentos de expansão óssea. O uso da MME elimina a necessidade de sítio doador palatino e, portanto, é uma solução menos invasiva.(Int J Periodontics Restorative Dent 2015;35:85–91. doi: 10.11607/prd.1849).