Estratégias de Preservação Tecidual Para Favorecer a Estabilidade a Longo Prazo dos Tecidos Moles e Duros


Como a colocação de implantes dentários funcionalmente estáveis tornou-se
rotina, as preocupações foram transferidas para a manutenção da crista óssea
e estabilidade dos tecidos moles. Este artigo propõe o desenvolvimento de
uma filosofia de preservação dos tecidos para evitar a perda da crista óssea
e recessão gengival e, assim favorecer a estética à longo prazo ao redor dos
implantes. Os pilares desta filosofia devem incluir prevenção ou minimização
de um microespaço e micromovimentos do conjunto implante-pilar, o uso de
plataforma reduzida, posicionamento apropriado do implante em relação à crista
óssea e preservar as papilas ao colocar tanto implantes unitários como múltiplos.
(Int J Periodontics Restorative Dent 2015;35:363–371. doi: 10.11607/prd.2075).