Efeito de Barreiras Cerâmicas de Diferentes Espessuras na Microdureza de Cimentos Resinosos Fotoativados


Este estudo avaliou a microdureza de dois cimentos resinosos e uma resina composta de baixa viscosidade quando fotoativada sob diferentes espessuras cerâmicas. Um total de 20 amostras (10,0 × 1,0 mm) de cada material foi polimerizado por meio de uma fonte de luz LED com uma intensidade de 1.100 mW/cm2 por 20 segundos. Para cada grupo experimental, foram aplicadas diferentes espessuras cerâmicas (0,5 mm, 1,0 mm e 1,5 mm) em cada amostra. Para o grupo controle, as amostras foram polimerizadas sem a presença de cerâmica. Cada material foi então armazenado em frascos secos que inibiram a passagem da luz por um período de 24 horas. Após esse tempo, cada amostra foi submetida ao teste de dureza Vickers (HMV, Shimadzu: 25 g / 10 segundos). Os dados foram coletados e analisados usando análise de variância e teste de Tukey (P < 0,05). Para o grupo de controle, RelyX Veneer (3m ESPE), Filtek Flow Z350XT (3M ESPE) e Allcem Veneer (FGM) apresentaram valores médios de microdureza e desvios padrão de 44,42 ± 4,9, 44,25 ± 2,4 e 31,71 ± 2,4, respectivamente. O valor mínimo de microdureza (24.13) foi encontrado quando a maior espessura cerâmica (1,5 mm) foi utilizada no cimento Allcem Veneer (P < 0,01). A microdureza dos materiais à base de resina foi afetada quando o material cerâmico de 1,5 mm de espessura foi interposto durante a fotoativação.