Contorno do Rebordo Alveolar Com Enxerto de Tecido Conjuntivo Durante a Instalação de Implante: Um Estudo Clínico Consecutivo de 5 anos


Este estudo avaliou a estabilidade de volume após contorno do rebordo alveolar com enxertos de tecido conjuntivo livre, em espaços edêntulos unitários, durante a instalação do implante. Um total de 52 espaços edêntulos unitários com deficiências de volume em vestibular na maxila (incisivos, caninos e pré-molares) foi tratado, de forma consecutiva e simultaneamente, com implantes e enxerto de tecido conjuntivo livre em 46 pacientes entre 2006 e 2009. Os implantes tinham que estar cobertos por pelo menos 2 mm de osso peri-implantar logo após a sua instalação. Durante a instalação do implante, fixou-se um enxerto de tecido conjuntivo do palato dentro de um retalho vestibular de espessura parcial, para dar uma forma convexa a um contorno côncavo de crista óssea vestibular já existente devido a uma deficiência de volume tecidual. Medidas volumétricas padronizadas utilizando um guia foram realizadas antes do enxerto de tecido conjuntivo e 2 semanas, 1 ano e 5 anos após colocação da prótese sobre implante. O volume tecidual aumentou significativamente (P < 0,05) em todos os seis pontos de referência representando o contorno alveolar externo do implante antes do enxerto com tecido conjuntivo quando comparado com o momento inicial do estudo (2 semanas após colocação da prótese sobre implante). Estatisticamente, 50% dos pontos de referência (P > 0.05) mantiveram o seu volume desde o momento inicial até 1 ano após a colocação da prótese e desde o momento inicial até 5 anos após colocação da prótese, respectivamente, enquanto que os pontos de referência localizados na área do sulco de implantes mostraram uma diminuição de volume significativa (P < 0,05). Clinicamente, 5 anos após a colocação da prótese, o contorno alveolar originalmente côncavo continuava convexo em todos os implantes, levando continuamente a uma forma anatômica favorável e a uma melhor situação estética. As radiografias intraorais confirmaram osseointegração e parâmetros peri-implantares estáveis com uma taxa de sobrevivência de 100% após uma preservação de aproximadamente 5 anos. A instalação do implante com enxerto simultâneo de tecido conjuntivo livre aparenta ser um meio adequado para correção, a longo prazo, de deficiências de volume vestibular do alvéolo existentes em implantes unitários.Int J Periodontics Restorative Dent 2016;36:465–473. doi: 10.11607/prd.2730