Considerações Clínicas Sobre o Recobrimento Radicular das Recessões Gengivais em Biótipo Delgado ou Espesso


O biótipo gengival é um termo clínico usado para descrever a espessura da gengiva. Foi classificada como espessa ou delgada e pode estar relacionada ao resultado clínico dos procedimentos de recobrimento radicular. Este estudo avaliou o impacto do biótipo gengival no resultado clínico dos procedimentos de recobrimento radicular após enxerto de tecido conjuntivo subepitelial mais retalho posicionado coronalmente. Um total de 19 pacientes, 10 com biótipo gengival delgado e 9 com biótipo gengival espesso, recebeu tratamento para recessões gengivais localizadas de classe I ou II de Miller. Após 6 meses, 14 pacientes alcançaram recobrimento radicular completo, 7 de cada grupo. A taxa média geral de recobrimento radicular foi de 90,93%. Os casos de biótipos delgados produziram um recobrimento radicular médio reduzido de 88,51%, em comparação com 93,63% para os pacientes que tinham a classificação de biótipo espessa. Embora o biótipo gengival delgado possa prejudicar o resultado clínico dos procedimentos de recobrimento radicular, esta limitação não parece ter uma forte influência no sucesso da terapia de recobrimento radicular quando o enxerto de tecido conjuntivo subepitelial foi associado ao posicionamento coronal do retalho.