Comparação do Uso do Enxerto Alógeno de Matriz Dérmica Acelular e do Enxerto Pediculado Periosteal Recobertos por Retalho Posicionado Coronalmente no Tratamento de Recessões Gengivais: Estudo de 1 ano de Acompanhamento


O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar a eficácia clínica do enxerto pediculado periosteal (EPP) e do enxerto alógeno de matriz dérmica acelular (MDA) associados ao retalho posicionado coronalmente (RPC) no tratamento de recessões gengivais durante um ano de acompanhamento. Foi selecionada uma amostra de 14 pacientes, todos com duas recessões similares do tipo I ou II de Miller (28 sítios com recessão). Cada recessão foi classificada, de forma aleatorizada, como sítio experimental (EPP+RPC) ou como sítio controle (MDA+RPC). Os parâmetros clínicos avaliados no início do estudo e ao final de 12 meses após os procedimentos cirúrgicos foram os de profundidade de sondagem, largura de tecido queratinizado e nível clínico de inserção, enquanto que a avaliação sítio específica e de boca toda do índice de placa, índice de sangramento gengival e dimensões das recessões gengivais foram realizadas no início do estudo e nos tempos de 1, 3, 6, 9 e 12 meses. Análises foram realizadas para verificar se havia diferença nos tratamentos. A média da profundidade das recessões nos sítios experimentais diminuiu de 2,89 ± 0,40 mm no tempo inicial para 0,25 ± 0,50 mm em 12 meses, correspondente a uma taxa de recobrimento radicular média de 92,79% ± 14,25%. Nos sítios controle, a taxa de recobrimento foi de 2,93 ± 0,55 mm no tempo inicial para 0,32 ± 0,46 mm em 12 meses de acompanhamento, correspondendo a uma média de recobrimento radicular de 89,79% ± 14,73%. Comparada com a técnica de MDA, a técnica de EPP apresenta um desenho de incisão e um manejo do retalho similares e são equivalentes em termo de sensibilidade da técnica, apresentando resultado semelhante. Int J Periodontics Restorative Dent 2016;36:e67–e75. doi: 10.11607/prd.2461.