Cirurgia Periodontal Minimamente Invasiva Assistida por Videoscopia: Resultados de Um Ano e Morbidade do Paciente

O objetivo deste estudo foi relatar os resultados clínicos de 1 ano de cirurgia minimamente invasiva assistida por videoscopia (CMI-V). Uma amostra de 18 pacientes contendo sítios com uma profundidade de sondagem (PS) de bolsa residual de pelo menos 5 mm e 2 mm de perda óssea no nível de inserção clínica (NIC) foi tratada com a CMI-V após realização de terapia não cirúrgica inicial. Após 12 meses da cirurgia, houve uma melhora estatística significativa (P < 0,001) na média de PS (4,11 ± 0,98 mm) e NIC (4,58 ± 1,19 mm) em todos os sítios cirúrgicos. Observou-se também uma melhora média na altura de tecido mole (0,48 ± 0,65 mm, P = 0,006). Em muitos casos, os pacientes não relataram qualquer desconforto pós-operatório. As melhoras associadas com a CMI-V pareceram ser favoráveis quando comparadas aos resultados previamente relatados de cirurgia periodontal regenerativa. A falta de recessão pós-cirúrgica após a CMI-V não foi relatada com a cirurgia regenerativa tradicional.