Avaliação do Efeito das Proteínas Derivadas da Matriz do Esmalte na Densidade Microvascular dos Tecidos Moles Após a Instalação de Implantes: Um Estudo Preliminar


As proteínas derivadas da matriz do esmalte (PDME) são comumente utilizadas na
terapia periodontal e têm sido aplicadas com sucesso na regeneração periodontal.
Além disso, esse material apresenta um possível efeito angiogênico que tem sido
associado com uma melhor cicatrização. O objetivo desse estudo foi avaliar o
efeito das PDME na densidade microvascular (angiogênese) dos tecidos moles ao
redor de implantes 14 dias após a instalação dos mesmos. Foram selecionados
cinco pacientes, cada um necessitando de ao menos um implante em cada lado
da maxila, em um desenho experimental de boca dividida. Os implantes foram
instalados em um procedimento de dois estágios. Cada lado foi aleatoriamente
escolhido em teste ou controle. No lado teste, 0,1 ml de PDME foi aplicado
topicamente nos tecidos moles ao redor dos implantes, enquanto que o lado
controle não recebeu nenhum tipo de tratamento. O segundo estágio cirúrgico
foi realizado após 14 dias. Uma biópsia circunferencial de 6 mm foi realizada
para cada implante e as amostras foram subsequentemente preparadas para
histologia e imunohistoquímica. Uma análise quantitativa da vascularização foi
realizada por meio da contagem de três áreas que continham vasos fortemente
positivos (“hotspots”) para CD34 e CD105, marcadores pan-epitelial e de novos
vasos, respectivamente. Não houve diferença significativa entre os grupos teste
e controle quando avaliada a formação de novos vasos sanguíneos. Contudo, o
número total de vasos sanguíneos foi significativamente maior no grupo tratado
com PDME (grupo teste). Dentro dos limites do presente estudo, pôde-se concluir
que a aplicação de PDME nos tecidos moles ao redor de implantes resultou
em um número aumentado de vasos sanguíneos após 14 dias, sugerindo que
as PDME podem ter um papel benéfico na cicatrização da ferida cirúrgica.