Avaliação de Implantes Dentais Instalados em Rebordos Pós-extração Preservados e Não Preservados: Um Estudo Pós-carga de 12 Meses


Quarenta e oito implantes dentais unitários foram inseridos 4 meses após extração dental seguida de preservação de crista (PR; n = 24) ou cicatrização espontânea (EXT; n = 24). Durante a cirurgia, 1 (7%) dos 24 implantes no grupo PR e 14 (58%) dos 24 no grupo EXT necessitaram de enxerto ósseo adicional e o valor do quociente de estabilidade do implante foi similar nos dois grupos. A taxa de sobrevivência dos implantes em ambos os grupos foi de 100% no acompanhamento de 1 ano. A taxa de sucesso foi de 95,83% no grupo PR e 91,66% no grupo EXP. Nenhuma diferença estatisticamente significativa no nível ósseo marginal foi detectada entre os dois grupos. Resultados similares de implantes inseridos em cristas preservadas ou cicatrizadas espontaneamente podem ser esperados, mas o uso de um procedimento de PR reduz a necessidade de aumento ósseo adicional.