Técnica de Crista Dividida em Três Estágios: Uma Série de Casos de Aumento de Rebordo Horizontal na Mandíbula Posterior Atrófica


Este trabalho apresenta uma técnica de crista dividida em três estágios (CDTE) para o aumento do rebordo horizontal na mandíbula posterior atrófica. O primeiro estágio consiste em dividir o rebordo. Após um intervalo de cicatrização de 3 a 4 semanas, o segundo estágio consiste na expansão da placa cortical (sem rebater o periósteo) e instalação de um material de enxerto ósseo. Após 3 a 4 meses de cicatrização, os implantes são instalados. As vantagens dessa técnica em três estágios são o aumento da vascularização na área cirúrgica, a diminuição das complicações do procedimento, e melhores taxas de sobrevivência do implante. Um tempo de tratamento prolongado é a principal desvantagem. O objetivo desta série de casos retrospectiva é revisar e discutir um novo passo a passo do procedimento cirúrgico da técnica de CDTE usando um protocolo de colocação de implantes tardios. Os resultados, as vantagens e as limitações também são apresentados.