Resultados a Longo Prazo das Condições Peri-implantares em Pacientes Periodontalmente Comprometidos após Enxerto Ósseo Lateral


Objetivo: O objetivo deste estudo retrospectivo foi comparar os resultados a longo prazo (≥ 5 anos) dos implantes colocados em pacientes tratados por periodontite crônica versus aqueles colocados em pacientes periodontalmente saudáveis. Em ambos os grupos, os implantes foram colocados em cristas alveolares que foram aumentadas lateralmente com enxertos de blocos ósseos autógenos usando uma técnica de bloco ósseo dividido. Materiais e Métodos: Duzentos e noventa e dois pacientes foram examinados no decurso dos exames de tratamento periodontal de suporte. Os pacientes não fumantes sem doenças sistêmicas graves que aderiram ao tratamento periodontal regular de suporte durante um mínimo de 5 anos após sofrer enxerto lateral autógeno (usando a técnica de bloco ósseo dividido), colocação de implantes e reabilitações protéticas foram classificados em dois grupos com base em seu estado pré-cirúrgico: pacientes periodontalmente saudáveis (PPS) e pacientes periodontalmente comprometidos (PPC). Resultados: Os resultados clínicos para 77 pacientes, 38 PPS e 39 PPC foram examinados. Todos foram tratados com sucesso por atrofia lateral grave e receberam um total de 241 implantes endósseos entre 2002 e 2008. No exame final, o sangramento a sondagem médio foi de 7,08% ± 7,27% em PPS e 14,49% ± 18,14% em PPC, diferença estatisticamente significativa. Índice de placa significativamente maior e mais recessão foram associadas a uma largura estreita (<2 mm) da mucosa queratinizada. Conclusão: Os implantes em cristas alveolares aumentadas lateralmente usando uma técnica de bloco ósseo dividido revelaram condições clínicas peri-implantares similares em PPS e PPC. O uso de enxertos de bloco ósseo autógeno sem biomateriais resultou em estabilidade do tecido peri-implantar a longo prazo.