Um Estudo Clínico Randomizado de Boca Dividida sobre a Efetividade das Membranas Corioamnióticas na Preservação da Crista Alveolar: Um Estudo Clínico, Radiológico e Morfométrico


Objetivo: Relatos de caso recentes sugerem que membranas corioamnióticas (MCA) e membranas densas de politetrafluoretileno (dPTFE) podem ser deixadas expostas durante a preservação do rebordo. O objetivo deste estudo foi comparar a efetividade destas membranas na preservação do rebordo, principalmente quando são deixadas expostas intencionalmente. Materiais e Métodos: Um estudo randomizado de boca dividida, cego, foi utilizado para comparar tratamentos com as duas membranas em 22 sítios que não fossem molar no mesmo arco. As dimensões do rebordo foram registradas clinicamente e com tomografia computadorizada de feixe cônico antes e 3 meses depois da preservação do rebordo. O desconforto pós-operatório foi registrado com formulários de escala analógica visual (EAV). Foi utilizada análise de variância de modelo misto para testar a significância. Resultados: As dimensões clínicas e radiográficas do rebordo não foram significativamente diferentes entre os dois tratamentos. Os sítios MCA tiveram significativamente mais osteoide e maior densidade de volume ósseo, mas significativamente menos partículas de enxerto e densidade de superfície óssea comparado com dPTFE. A área de osso mineralizado e a área de tecido mole não foram significativamente diferentes entres os dois tratamentos. Os sítios MCA tiveram significativamente menores escores EAV pós-operatórios comparados com dPTFE. Conclusão: A MCA exposta intencionalmente é igualmente efetiva na preservação do rebordo comparada com dPTFE. Além disso, o uso da MCA pode reduzir os escores EAV pós-operatórios, e resultar potencialmente em melhor qualidade do osso disponível para a instalação de implante, como evidenciado por medidas histomorfométricas.