Testes de Absorção de Choque In Vitro em Coroas Implantossuportadas: Influência de Materiais da Coroa e Cimentos


Objetivo: Investigar a capacidade de absorção de força de coroas implantossuportadas feitas de materiais
restauradores diferentes e conectadas a pilares com diferentes cimentos. Materiais e Métodos: Coroas de
molares foram fresadas em diferentes materiais de CAD/CAM (n = 8 coroas por material): polimetilmetacrilato,
poliéter-éter-cetona, resina composta, dissilicato de lítio, titânio e zircônia. As coroas foram montadas em réplicas
de implantes de titânio usando diferentes cimentos: não cimentadas, cimentadas temporariamente (cimento
de óxido de zinco e eugenol), cimentadas convencionalmente (cimento de oxifosfato de zinco) e cimentadas
adesivamente. Como referência, uma réplica de implante foi testada sem uma coroa. As absorções de força das
diferentes combinações de materiais de coroa e agentes de cimentação foram determinadas aplicando uma
força crescente (0 a 250 N) na superfície da coroa oclusal e medindo a força resultante abaixo do implante. As
curvas médias das forças aplicadas e resultantes até 200 N foram determinadas (seis medições por grupo), e
as inclinações foram calculadas. Foi realizada a análise estatística (análise de variância de um critério, teste
post hoc de Bonferroni, α = 0,05). Resultados: Diferenças significativas (P < 0,001) nas forças aplicadas e
resultantes foram encontradas entre os materiais da coroa que não foram cimentados, ou cimentados
temporariamente, definitivamente e adesivamente. Materiais com maior módulo de elasticidade (cerâmica,
titânio) apresentaram inclinações mais acentuadas das curvas de força e menor capacidade de absorção de
choque do que os materiais à base de resina, mas foram mais influenciados pelos agentes cimentantes. Os
efeitos de amortecimento dos materiais à base de resina foram mais elevados em combinação com todos os
modos de cimentação e fixação. Conclusão: Os testes de absorção de choque exibiram um forte comportamento
de amortecimento dependente de material das coroas implantadas. A capacidade de absorção de choque dos
materiais da coroa com alto módulo de elasticidade pode se beneficiar da cimentação convencional.