Teste de Bioatividade In Vitro de Implantes Dentários Reais de Acordo com a Norma ISO 23317


O objetivo deste estudo foi comparar a bioatividade in vitro em fluido corporal simulado (FCS)
de implantes dentários comercialmente disponíveis. Materiais e Métodos: A bioatividade, de acordo
com a norma ISO 23317, de implantes dentários comercialmente disponíveis com várias modificações
de superfície (superfície BIO, SLA, SLActive, TiUnite e OsseoSpeed) foi testada em FCS por 1 e 3
semanas. Foram realizadas caracterizações de superfície, especialmente o teor de superfície de cálcio
e fósforo antes e após a imersão em FCS. O efeito do tratamento superficial sobre a bioatividade foi
estudado. Resultados: As diferenças entre as superfícies antes da imersão em FCS foram confirmadas
por espectroscopia Raman, espectroscopia de fotoelétrons de raios-X (XPS), espectroscopia de raios-x
de energia dispersiva (EDX) e análise de microscópio eletrônico de varredura (MEV). O conteúdo da
superfície de cálcio e fósforo aumentou dentro do período testado no caso de dois (BIO-superfície e
SLActive) dos cinco implantes dentários testados. A precipitação de cálcio e fosfato foi observada por
meio de análise de microdifração de raios-X (μ-XRD), MEV, XPS e EDX. Conclusão: Dois (BIO-surface de
LASAK e SLActive de Straumann) dos cinco implantes dentários testados foram considerados bioativos,
de acordo com a norma ISO 23317. Embora seja difícil determinar inequivocamente as propriedades
que influenciam a taxa de precipitação de hidroxiapatita, foram encontradas múltiplas propriedades
que as duas superfícies têm em comum.