Regeneração Óssea Usando Células-Tronco Derivadas de Tecido Adiposo com Fibronectina em Defeitos do Tipo Deiscência Associados a Implantes Dentários: Um Estudo experimental em Modelo Canino


Objetivo: Determinar o potencial de regeneração óssea de um biomaterial cerâmico revestido com fibronectina e células-tronco derivadas de tecido adiposo em defeitos de tamanho crítico de três paredes associados a implantes dentários. Materiais e Métodos: Em um total de 18 cães, quatro defeitos de tamanho crítico e do tipo deiscência foram criados cirurgicamente na crista alveolar edêntula com a colocação simultânea de implantes dentários. Os defeitos foram regenerados aleatoriamente usando biomateriais revestidos com fosfato particulado ß-tricálcico (ß-TCP), ß-TCP com fibronectina (Fn) (ß-TCP-Fn) e ß-TCP com uma combinação de Fn e células-tronco autólogas derivadas de tecido adiposo (CTDTA) (ß-TCP-Fn-CTDTA), deixando um defeito como controle. Os animais foram divididos em três grupos de acordo com o tempo da eutanásia (1, 2 ou 3 meses). Resultados: Não foram observadas diferenças estatísticas significativas entre os três grupos de estudo (ß-TCP, ß-TCP-Fn, ß-TCP-Fn-CTDTA) e o grupo controle na área total de regeneração óssea e tecido mineralizado e não mineralizado em 1, 2 e 3 meses de cicatrização. Aos 2 meses, os defeitos tratados com ß-TCP-Fn-CTDTA mostraram uma diminuição significativa na porcentagem de contato osso-implante (COI) em comparação com os grupos ß-TCP-Fn (P = 0,041) e controle (P ==.012). Aos 3 meses de cicatrização, no entanto, não foram encontradas diferenças significativas no COI entre os três grupos de estudo e controle (P = 0,388). Conclusão: O uso de CTDTA nos processos de regeneração óssea de defeitos do tipo de deiscência associado à inserção simultânea do implante não parece melhorar a área de regeneração óssea ou a porcentagem de COI em comparação com outros biomateriais ou o defeito alveolar controle.