Prótese Fixa Superior Implantossuportada: Uma Pesquisa de Revisão e Variáveis-Chave para o Planejamento Terapêutico

Objetivo: Esta revisão foi realizada para fornecer informações de apoio ao estabelecimento de diretrizes clínicas para o tratamento do edentulismo maxilar usando próteses dentárias fixas implantossuportadas. Materiais e Métodos: Os esforços iniciais foram direcionados para uma revisão sistemática com a pergunta PICO definida: “Para pacientes edêntulos totais em maxila, tratados com próteses fixas implantossuportadas, qual é o impacto da configuração da prótese, na taxa de sobrevivência e complicações?” Depois de uma pesquisa de título de mais de 3.000 títulos identificados por busca eletrônica do PubMed, foram identificados 180 artigos que abordaram a avaliação clínica da próteses superiores implantossuportadas. A ampla heterogeneidade metodológica e a variação clínica entre os artigos impediram esta abordagem para a revisão sistemática. As informações foram extraídas usando uma tabela de extração padronizada por dois pares de investigadores e os resultados relatados foram então resumidos de acordo com os resultados reportados para próteses sobre implantes apoiados por quatro, seis ou oito implantes com próteses de uma peça ou segmentadas. Resultado: Esta revisão indicou uma alta taxa de sobrevivência das próteses observadas utilizando todas as abordagens. As vantagens de usar menos implantes e prótese de uma peça são reveladas nas fases cirúrgicas e as complicações comumente envolvem a fratura ou desprendimento dos de dentes de acrílico, acesso difícil para a higiene oral adequada e complicações biológicas relacionadas. Usar seis implantes, normalmente, envolve enxerto nas regiões posteriores com vantagens de menor cantiléver e suporte com maior número de implantes. A redução da sobrevida da prótese nestes casos foi associada à má distribuição dos implantes. Próteses segmentadas apoiadas por seis ou mais implantes ofereceram maior sobrevida talvez devido à colocação do implante posterior. As vantagens de uma prótese segmentada incluem questões práticas, como de acomodar implantes divergentes, obter ajuste passivo, combinar materiais protéticos e relativa simplicidade de reparo. Conclusão: A literatura existente tem demonstrado que o edentulismo maxilar pode ser tratado com sucesso usando abordagens alternativas que envolvem quatro, seis ou mais implantes. O processo diagnóstico, tratamento e manutenção para estas diferentes abordagens requerem conhecimento avançado e comunicação cuidadosa entre a equipe terapêutica. O sucesso terapêutico da prótese necessita de manutenção, reparo e várias substituições são possíveis durante a vida do paciente.