O Revestimento de Pululano Fosforilado Melhora a Osseointegração de Implante de Titânio em um Modelo Porcino


Objetivo: Investigar o efeito do revestimento de uma superfície de implante de titânio com um exopolissacarídeo pululano fosforilado na formação do osso peri-implantar e na osseointegração do implante. Materiais e Métodos: Os implantes foram colocados no osso do crânio de 12 porcos domésticos e deixados cicatrizar por 1 ou 3 meses. A osseointegração de implantes (un) revestidos foi avaliada por histologia quantitativa (fração óssea peri-implantar [FO/BF] e contato osso-implante [COI/BIC]). O teste de Wilcoxon-Mann-Whitney com α = 0,05 foi utilizado para comparar, estatisticamente, a FO (BF) e o COI (BIC) dos implantes revestidos e não revestidos. Resultados: Observou-se significativamente mais FO (BF) observada envolvendo implantes revestidos com pululano em comparação com implantes não revestidos (P < 0,05) e para ambos os períodos de cicatrização (P < 0,05). O COI foi positivamente afetado pelo revestimento de exopolissacarídeos, com significativamente mais COI (BIC) após o período de cicatrização de 3 meses em comparação com o implante não revestido (P < 0,05). Além disso, o COI (BIC) permaneceu estável ao longo do tempo para os implantes revestidos, enquanto diminuiu significativamente para os não revestidos (P < 0,05). Conclusão: Esses achados revelam a capacidade de funcionalizar a superfície do implante de titânio com pululano fosforilado para melhorar a mineralização da interface implante-osso.