Nova Proposta Para Reabilitação de Maxila Atrófica: Implante Inclinado Longo

Objetivo: Diante de situações em que a remodelação óssea causa grande pneumatização e extensão para anterior do seio maxilar, o uso de implantes longos parece ser uma opção viável de tratamento. A nova proposta sugere a instalação de implantes extra longos transinusais quando não há volume ósseo alveolar remanescente na região posterior da maxila. Na descrição da técnica em questão, foram utilizados quatro implantes para reabilitação da maxila, sendo os dois anteriores axiais com comprimento convencional (11 mm) e os dois implantes distais extra longos (24 mm) instalados transinusais, com preenchimento do seio maxilar com enxerto heterógeno. O comprimento dos implantes extra longos permitiu a ancoragem apical no pilar canino e um posicionamento mais posterior da sua plataforma, eliminando a extensão em cantilever da prótese, fato importante na melhoria da biomecânica de todo o sistema. Desta forma, a utilização de implantes extra longos transinusais possibilitou reabilitar o paciente em carga imediata e, assim, melhorar sua qualidade de vida de forma mais rápida, mesmo com um remanescente ósseo extremamente reduzido. Durante o primeiro ano de acompanhamento, ao exame clínico e radiográfico, não foram observados sinais de inflamação, supuração ou extensa remodelação óssea. Diante do observado, a terapia proposta sugere uma nova técnica para a reabilitação de maxila atrófica. Estudos longitudinais com maior casuística poderão validar a metodologia.