Mudanças na Margem Gengival em Região Superior Anterior após a Colocação de Implante Unitário Imediato e Provisionalização: Um estudo Retrospectivo de 5 Anos com 47 pacientes


Proposta: Avaliar as mudanças de margem gengival em áreas estéticas após a colocação imediata de implante e provisionalização após 5 anos com um pilar provisório anatômico individualizado. Materiais e métodos: Procedimentos de colocação de implantes imediatos unitários e provisionalização em região de incisivo superior, concluídos e acompanhados entre fevereiro de 2006 e agosto de 2006, foram analisados retrospectivamente. Durante consultas clínicas de manutenção após 3 meses, 1 ano e 5 anos, as mudanças na margem gengival foram registradas com fotografias clínicas e medidas em milímetros. Resultados: Cada um dos quarenta e sete pacientes recebeu um implante unitário (19 incisivos centrais, 28 incisivos laterais) e foram acompanhados por 5 anos. Implantes e restaurações tiveram taxa de 100% de sobrevivência durante o estudo. A mudança gengival média (recessão) foi de 0,17 mm no momento da restauração definitiva, 0.27 mm 3 meses depois, 0.30 mm depois de 1 ano e 0,30 mm depois de 5 anos. Após 5 anos, 24 das 47 coroas sobre os implantes não apresentavam recessão gengival significativa. Todas as regiões de incisivos centrais receberam implantes de 4,3 mm de diâmetro e tiveram uma mudança média no comprimento dos dentes de 0,03 mm após 5 anos. Áreas de incisivo lateral (n= 28) receberam implantes com diâmetros de 3,5 mm (n= 20) e 4.3 mm (n= 8). As áreas de incisivos laterais que receberam implantes de 3,5 mm de diâmetro tiveram uma média de mudança em altura de margem gengival de 0,08 mm do comprimento do dente em 5 anos; áreas de incisivos laterais que receberam implantes com 4,3 mm de diâmetro apresentaram uma média de 0,82 mm do comprimento do dente. Conclusão: Esse estudo sugere que o diâmetro do implante, biótipo gengival, técnica cirúrgica, e/ou razão da perda do dente podem influenciar a quantidade de recessão gengival que ocorre em 5 anos. A maioria das recessões ocorreu nos 3 primeiros meses, entre a colocação do implante/provisionalização e a restauração definitiva. O uso de pilar provisório anatômico e individualizado pode reduzir a quantidade e a frequência das recessões. Int J Oral, Maxillofac Implants – edição em português 2016;1:128–135.
Referência original: Int J Oral, Maxillofac Implants 2014;29:127–134. Doi: 10.11607/jomi.3124.