Melhorando a Adaptação de Próteses sobre Implante: Um Estudo In Vitro

Propósito: Precisão e adaptação passiva entre a prótese e seus implantes suportes têm sido consideradas pré-requisitos para o sucesso da osseointegração a longo prazo. O objetivo deste estudo in vitro foi avaliar o desenvolvimento de tensão durante o aperto de uma supraestrutura de cinco elementos retida por parafuso, construída usando cinco diferentes métodos. Materiais e métodos: Próteses parciais fixas parafusadas de cinco elementos (n = 25) foram fabricadas sobre três implantes embebidos em um bloco de resina epóxi usando cinco diferentes métodos; (1) Cromo-cobalto (Cr-Co), cilindros plásticos, fundição de uma peça; (2) Cr-Co, cilíndricos plásticos, estrutura seccionada, solda a laser pré-cerâmica; (3) Ouro-platina (Au-Pt), cilindros de ouro, fundição de uma peça; (4) Au-Pt, cilindros de ouro, estrutura seccionada, soldagem a laser pré-cerâmica; (5) Cr-Co, fundição de uma peça e cimentação para “pilares passivos” (Southern Implants) depois do acabamento e polimento final. Medidores de tensão (MT) foram fixados às próteses parciais fixas (PPF) e ao bloco de resina para medir o estresse criado durante o aperto dos parafusos. Resultados: A combinação da liga Cr-Co e dos cilindros plásticos em uma peça mostrou uma adaptação inadequada entre os métodos de fabricação e este grupo foi excluído do restante do experimento. As amostras de Au-Pt fundidas sobre cilindros de ouro em uma peça demonstraram um desenvolvimento de tensão mais alto do que os outros grupos neste estudo, com escalas de tensão de 223.1 até 2.198.1µm. A secção e solda melhorou significativamente a adaptação total. As PPF de Cr-Co em uma peça cimentada em “pilares passivos” produziram o melhor nível de adaptação, com o menor desenvolvimento de tensão nas próteses e nos blocos de resina (59 até 204.6 µm/ml). Conclusão: Adaptação absoluta de supraestruturas sobre implantes não é possível usando procedimentos convencionais de laboratório. A cimentação das PPF sobre cilindros pré-fabricados diretamente sobre os implantes reduz significativamente o desenvolvimento de tensão comparado aos outros métodos de fabricação. Int. J Oral Maxillofac Implants – edição em português 2016;1:67-75.
Referência original: Int. J Oral Maxillofac Implants 2013;28:126-134. doi 10.11607/jomi.2346.