Lesão Inflamatória Periapical em Implante Previamente à Osseointegração: Um Estudo de Série de Casos


Proposição: Relatar 20 casos com patologias periapicais em implante diagnosticadas durante a fase de
osseointegração avaliando retrospectivamente a eficiência do tratamento com cirurgias periapicais de implantes.
Materiais e Métodos. Uma avaliação retrospectiva foi conduzida em todos os pacientes submetidos a cirurgias
periapicais em implantes realizadas entre 1996 e 2010. Os critérios pra diagnosticar a presença de patologia
periapical em implantes e, consequentemente, a execução da cirurgia periapical implantar foram: (1) dor aguda
durante o período de osseointegração (8 semanas após a instalação do implante) localizada na área do implante
afetado ou a presença de fistula mucosa relacionada ao ápice do implante; (2) ausência de mobilidade do implante;
(3) percussão firme em implantes não submersos; e (4) presença ou ausência de radiolucidez periapical no
implante. Resultados: Vinte e dois implantes foram diagnosticados com patologias periapicais em 20 pacientes
(13 mulheres e 7 homens) com uma média etária de 54,3 anos (variação de 32 a 70 anos) e consecutivamente
tratados com abordagem cirúrgica. Em 19 implantes, o diagnóstico foi peri-implantite apical aguda (não supuradas
em 7 casos e supuradas em 12) com base em sintomas e sinais radiográficos, e em 3 casos era peri-implantite
apical subaguda, baseada na presença de uma fístula. Após acompanhamento mínimo de 1 ano, 20 implantes
permaneceram funcionais, sem alterações clínicas ou radiológráficas; a taxa de sobrevivência dos implantes
tratados foi de 91%. Conclusão: O diagnóstico precoce das lesões periapicais inflamatórias em implantes durante
a fase de osseointegração e seu imediato tratamento cirúrgico levou a uma taxa de sobrevivência dos implantes
tratados de 91%. Int J Oral Maxillofac Implants – edição em português 2016;1:76-80.
Referência original: Int J Oral Maxillofac Implants 2013;28:158-162. doi: 10.116-7/jomi.2864.