Influência da Osteotomia Escalonada na Estabilidade Primária de Implantes Inseridos em Sítios Ósseos de Baixa Densidade: Um Estudo In Vitro


Os objetivos deste estudo foram avaliar a capacidade da osteotomia escalonada melhorar a
estabilidade primária do implante dentário em sítios ósseos de baixa densidade e investigar possíveis
correlações entre os parâmetros de estabilidade primária. Materiais e Métodos: O estudo foi realizado em
osso bovino fresco úmido classificado como tipo III. O grupo teste consistiu na inserção de 30 implantes Astra
Tech EV, seguindo o protocolo fornecido pelo fabricante. O primeiro grupo controle consistiu na inserção de 30
implantes Astra Tech EV em sítios sem subpreparo na porçã o apical. E o segundo grupo controle consistiu na
inserção de 30 implantes Astra Tech TX seguindo o protocolo fornecido pelo fabricante. A inserçã o do implante
foi realizada com os 30 rpm predeterminados. Os dados de torque de inserção foram registrados e exportados
como uma curva; utilizando uma técnica de integração trapezoidal, a área subjacente à curva foi calculada:
esta área representa o trabalho de torque variável (VTW). O pico de torque de inserção (pIT) e a análise de
frequência de ressonância (RFA) também foram registrados. Resultados: Um teste de Mann-Whitney mostrou
que a VTW média foi significativamente maior no grupo de teste em comparação com os grupos controle;
além disso, a análise estatística mostrou que o pIT também foi significativamente maior no grupo de teste
em comparação com os controles. Analisando os valores de RFA, apenas a diferença entre o grupo teste e o
segundo grupo controle mostrou significância estatística. A análise de correlação de Pearson mostrou uma
correlação positiva muito forte entre os valores de pIT e VTW em todos os grupos; além disso, mostrou uma
correlação positiva entre os valores de pIT e RFA e entre os valores de VTW e RFA apenas no grupo teste.
Conclusão: Dentro das limitações de um estudo in vitro, os resultados mostram que a osteotomia escalonada
pode ser um método viável para melhorar a estabilidade primária do implante em sítios ósseos de baixa
densidade e que, quando um método de osteotomia tradicional é realizado, a RFA não apresenta correlação
com pIT e VTW.