Falha no Levantamento do Seio e Infecções Pós-operatórias Associadas à Terapia Profilática com Clindamicina: Uma Série de Casos Observacionais


Objetivos: Este estudo observacional foi baseado em uma série de casos clínicos em que a falha do levantamento de seio ocorreu em pacientes que receberam terapia profilática de clindamicina. Materiais e Métodos: Entre os anos de 2006 e 2010, foi realizado um estudo observacional retrospectivo. O estudo consistiu em 1.874 pacientes (723 homens e 1.151 mulheres) nos quais os levantamentos de seio foram realizados antes da colocação de implantes dentários. Resultados: Em nove (0,48%) pacientes (quatro homens e cinco mulheres), ocorreu infecção do material do enxerto no assoalho do seio, e seis pacientes desenvolveram um abscesso no local da cirurgia, quatro a seis semanas após a cirurgia. Em três pacientes, uma fístula vestibular com drenagem de pus foi observada 5 a 8 semanas após a cirurgia. Em todos os pacientes, a fonte de infecção era do material enxertado dentro do seio. Uma manifestação comum em todos os nove pacientes foi que eles tinham auto-relato de alergia à penicilina e tinham recebido prescrição de clindamicina (300 mg a cada 6 horas durante 10 dias). Conclusão: A terapia profilática de clindamicina após procedimentos de levantamento de seio parece ser um fator de risco para infecções e perda de material de enxerto seguindo estas técnicas cirúrgicas.