Desgaste da Interface Implante-pilar de Pilares de Zircônia Fabricados por Três Sistemas CAD/CAM

Objetivo: Avaliar as mudanças na superfície hexagonal externa do implante de titânio (Ti) antes e depois
da ciclagem mecânica, quando associado com os pilares (P) de zircônia (Zr) fabricados por três sistemas
de desenho assistido por computador/fabricação assistida por computador. (CAD/CAM) (Neodent Digital,
Zirkonzahn e AmannGirrbach) e o pilar ZrTi fabricado pela Neodent. Materiais e Métodos: Foram formados
quatro grupos (n = 6): implante de titânio com o pilar Zr AmannGirrbach (PZrAG), com o pilar Zr Zirkonzahn
(PZrZ), com o pilar Zr Neodent (PZrN) e com o pilar Zr com infraestrutura em Ti Neodent (PZrTiN). Os pilares
padronizados foram feitos a partir de três pilares idênticos fresados em cera. As imagens da superfície de
cada lado dos hexágonos do implante foram obtidas por microscopia eletrônica de varredura, antes e depois
da ciclagem mecânica, para avaliar os parâmetros: (1) riscos na face hexagonal; (2) amassados no ombro
superior do hexágono; (3) desgaste na plataforma do hexágono; (4) alterações na base do hexágono e (5)
riscos no topo do hexágono. Os pilares foram acoplados nos implantes e as coroas Cr-Co foram cimentadas.
Os conjuntos implante/pilar/coroa foram submetidos à ciclagem mecânica (400 N, 8,0 Hz) durante 1 milhão
de ciclos. As alterações observadas foram classificadas da seguinte forma: ausente (0), leve (1), moderada
(2) e severa (3). Os resultados foram analisados utilizando os testes de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e
Dunn (P < 0,05). Resultados: Para o parâmetro 1, observou-se diferença significativa (P = 0,008) entre
PZrZ e PZrAG, com mais riscos em PZrZ; e entre PZrN e PZrTiN (P = 0,006), com mais riscos em PZrN. Para
o parâmetro 2, observou-se diferença significativa (P < 0,05) entre PZrZ e PZrAG e entre PZrZ e PZrN, com
maior amassamento em PZrZ; entre PZrN e PZrTiN, não houve diferença significativa (P = 0,103). Para o
parâmetro 3, observou-se diferença significativa (P < 0,05) entre PZrZ e outros grupos de Zr, com maior
desgaste em PZrZ; entre PZrN e PZrTiN, não houve diferença significativa (P = 0,107). Para o parâmetro 4,
observou-se diferença significativa (P < 0,05) entre PZrZ e PZrN, com mais riscos em PZrZ; uma diferença
significativa (P = 0,002) também foi observada entre PZrN e PZrTiN, com mais riscos em PZrN. Para o
parâmetro 5, observou-se diferença significativa (P < 0,05) entre PZrZ e PZrAG e entre PZrZ e PZrN, com
o menor número de riscos em PZrZ; uma diferença significativa (P = 0,006) também foi observada entre
PZrN e PZrTiN, com mais alterações em PZrN. Considerando todas as alterações, o grupo PZrZ apresentou
maior alteração de superfície, 1,74 (0,99); seguido por PZrN, 1,43 (0,92); PZrAG, 1,32 (0,96) e PZrTiN, 0,88
(0,94) Conclusão: Entre os pilares Neodent, o grupo PZrN mostrou mais alterações de superfície. Entre os
grupos Zr, as amostras de PZrZ apresentaram as superfícies mais alteradas, sugerindo que as alterações
nas superfícies hexagonais do implante/pilar Zr estão relacionadas à forma hexagonal fresada do pilar.