Desfechos de Escore de Estética Rosa em Torno de Três Configurações de Implante-pilar: Resultados de 3 Anos


Objetivos: Avaliar a influência que três diferentes desenhos de interface implante-pilar sobre os desfechos de mucosa peri-implantar conforme avaliados pelo escore de estética rosa (EER) 3 anos após a colocação tardia do implante e a provisionalização imediata. Materiais e Métodos: Sujeitos adultos (n = 141) que necessitaram da substituição de um dente único limitado aos sítios da maxila anterior e do primeiro pré-molar foram randomizados para receber um de três desenhos únicos de interface implante-pilar (interface cônica [IC]; interface plana [IP] ou interface de plataforma reduzida [PR]). O tratamento incluiu a provisionalização imediata com pilares de titânio pré-fabricados, seguidos dos pilares de zircônia com desenho/fabricação auxiliados por computador (CAD/CAM) e coroas cerâmicas cimentadas e entregues após 12 semanas. Fotos clínicas digitais bilaterais (sítios anteriores) ou unilaterais (sítios de pré-molares) foram feitas aos 1, 3, 6, 12, 24 e 36 meses após a colocação do implante. Cinco avaliadores calibrados do corpo docente que pontuaram anteriormente o conjunto de dados de imagem de EER de 1 ano marcaram as fotografias de 24 e 36 meses usando uma interface de tablet digital baseada na nuvem. Resultados: Seiscentos e dez fotografias clínicas foram avaliadas, resultando em um total de 3.050 valores totais de EER e 21.350 valores individuais de EER. A confiabilidade intra e interavaliador do avaliador do corpo docente foi considerada “substancial”, com valores de coeficiente de correlação intraclasse (CCI) de 0,76 e 0,77, respectivamente. Todos os três grupos de interface implante-pilar demonstraram estética aceitável aos 3 anos (média de EER = 10,1 ± 1,9, 4,0 a 13,2), sem um grupo único demonstrando valores de EER médios significativamente maiores do que outro no acompanhamento de 3 anos ou qualquer intervalo de retorno nesse meio tempo. Conclusão: Não foram observadas diferenças significativas na média dos escores de EER para indivíduos randomizados para uma das três diferentes geometrias da interface implante-pilar. Dentro das limitações deste estudo até agora, os primeiros 6 meses após a entrega definitiva da prótese parecem ainda ser os mais significativos no que diz respeito à melhora nos resultados de EER para todos os três grupos de tratamento.