Citotoxicidade dos Implantes Dentários: Os Efeitos dos Elementos Ultraestruturais

Objetivos: Neste estudo in vitro, o objetivo foi avaliar os perfis de citotoxicidade de sete materiais comerciais
de implantes dentários usando métodos de cultura celular em uma linha celular osteoblástica. Materiais e
Métodos: A microestrutura de sete implantes dentários comerciais (cada um com um código de letra) foi
investigada através de microscopia eletrônica de varredura e análise de raios-x de energia dispersiva. Os
extratos médios foram coletados no 1º e 5º dias para cada grupo e testados usando a linha celular MC3T3-E1.
A citotoxicidade foi avaliada com o sistema Xcelligance e o reagente XTT, e a apoptose foi determinada por
coloração de Annexin-V. A análise de variância de um critério (ANOVA) e os testes de múltiplas extensões de
Tukey foram utilizados para análises estatísticas. Em todos os testes, P foi definido como 0,05. Resultados: Os
resultados da ANOVA revelaram que os valores de Ti (P = 0,001), Na (P = 0,001), Ca (P = 0,09), Al (P = 0,024)
e P (P = 0,020) foram significativamente diferentes entre materiais de teste. As análises de citotoxicidade e
apoptose revelaram que os materiais de implante (C) e (E) eram os materiais com menor vitalidade celular e
com as maiores taxas de apoptose entre os materiais de teste. O fósforo foi o único elemento que apresentou
a maior quantidade em C e E (14,23% e 12,29%, respectivamente) em comparação com os demais materiais
dos implantes testados. (F) e (G) tiveram resultados favoráveis em todas as experiências. Conclusão: Os
resultados sugerem que os materiais de implantes dentários puros com menor número de elementos adicionais
podem ter menos efeitos citotóxicos do que os outros materiais de implante testados neste estudo.