Cantilever Distal em Próteses Totais Fixas e Carga Imediata: Um Estudo Clínico Retrospectivo


Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar e avaliar o sucesso clínico de cantilevers distais em próteses totais fixas para a reabilitação de arcos edêntulos associados com carga imediata. Materiais e Métodos: Vinte e sete pacientes (15 homens e 12 mulheres) com média de idade de 59 anos receberam 203 implantes (Ankylos, Dentsply), tanto em mandíbulas edêntulas ou após extração e instalação de implante imediato. Todos os implantes foram esplintados com as restaurações provisórias e carregados imediatamente após a cirurgia. Após uma média de 60 dias, as próteses definitivas foram confeccionadas e cimentadas provisoriamente. Trinta e uma próteses foram entregues. Um total de 92 unidades sobre cantilevers distais foi incorporado às próteses. A estabilidade do implante foi registrada (via teste de percussão) após as próteses serem removidas e os níveis da crista óssea foram mensurados em radiografias. Resultados: A média de perda da crista óssea foi de 0,33 mm. Após um acompanhamento de 5 anos, somente uma prótese fraturou (na união entre a porção principal da prótese e a extensão distal). Um total de cinco implantes foi perdido devido à sobrecarga ou peri-implantite (durante a cicatrização inicial). A taxa de sucesso dos implantes foi 94,5%, a taxa de sobrevivência foi 97,5% e a taxa de sobrevivência das próteses foi 96,7% após o período de carga de 79,30 ± 35,31 meses. Conclusões: Baseado nos dados clínicos a longo prazo, os cantilevers distais em próteses totais podem ser uma modalidade de tratamento de sucesso e podem ser empregados no plano de tratamento do paciente quando o suporte posterior é indicado.