Biofuncionalização de Grânulos de Titânio com Simvastatina para Melhorar a Atividade Osteogênica e as Propriedades Antibacterianas (Estudo Ex Vivo)


Objetivos: Os biomateriais à base de titânio apresentam boa biocompatibilidade, enquanto a sua osseointegração
e propriedades antibacterianas precisam ser melhoradas. Este estudo teve como objetivo aumentar a capacidade
de adesão óssea de grânulos à base de titânio que se destinam a ser utilizados como enxerto ósseo. Materiais e
Métodos: Os grânulos de titânio foram anodizados em eletrólito à base de etilenoglicol e posteriormente temperados
para serem carregados separadamente com simvastatina. As amostras foram então inspecionadas com refletância
total atenuada sob espectroscopia infravermelha transformada de Fourier (ATR-FTIR) para o carregamento da droga.
A libertação de simvastatina a partir de amostras de grânulos de titânio foi medida após a imersão das amostras em
soro fisiológico tamponado com fosfato (PBS) durante 30 dias utilizando espectroscopia ultravioleta visível (UV/Vis).
A atividade da fosfatase alcalina (FA) das amostras carregadas com MG63 osteossarcoma foi medida e o teste de
diluição por Microbroth foi realizado para avaliar o potencial antibacteriano de grânulos de titânio carregados e não
carregados com sinvastatina para crescimento bacteriano. Resultados: Os resultados expressaram a liberação
gradual e constante de simvastatina na duração do exame. A FA das amostras mostrou atividade melhorada de
grânulos anodizados e temperados, enquanto o teste antibacteriano não demonstrou melhora significativa em seus
efeitos bactericidas. No entanto, as amostras carregadas com simvastatina mostraram um efeito antibacteriano
melhorado em comparação com as amostras não carregadas. Conclusão: Assume-se que a anodização, a
têmpera e o subsequente carregamento de simvastatina nos grânulos de titânio poderiam ser utilizados como
modificação da superfície para melhorar a osseointegração e restringir o crescimento e a adesão bacteriana.
É razoável acreditar que os resultados deste estudo poderiam ser usados para tratar grânulos de titânio como
materiais de substituição do enxerto ósseo para aplicações odontológicas e ortopédicas.