Avaliação Histomorfométrica de Dois Substitutos Ósseos Diferentes em Procedimentos de Aumento de Seio: Um Ensaio Controlado Aleatório em Seres Humanos


Objetivo: Os resultados histomorfométricos do elevação do assoalho sinusal com osso bovino desproteinizado (OBD) e um novo substituto ósseo totalmente sintético poli (ácido lático-co-glicólico / hidroxiapatita) (PLGA/HA) foram comparados em humanos. Materiais e Métodos: Foram estudados doze seios maxilares de oito pacientes que necessitaram de grande elevação do assoalho do seio maxilar e livre de condições concomitantes (pontuação 1 e 2 da ASA). A elevação do seio maxilar foi realizado utilizando enxertos OBD ou PLGA/HA; os locais foram aleatoriamente designados para os grupos controle ou teste. Os pacientes foram reexaminados aproximadamente 6 meses após o enxerto usando tomografia computadorizada com feixe cônico e amostras de biópsia foram colhidas dos locais de implante. Foram avaliados o volume ósseo total, o volume residual do material do enxerto e o volume ósseo novo. Resultados: Os tempos de cicatrização foram semelhantes entre os grupos. Os espécimes de biópsia mensuráveis estavam disponíveis em quatro dos locais de teste e seis dos locais de controle. Os enxertos PLGA/HA não mostraram vestígios de material de enxerto, enquanto os enxertos OBD apresentaram uma área média de enxerto de 16,5% (P < 0,05). A porcentagem média de ossos recentemente formados tende a ser maior para PLGA/HA (44,45%) do que para OBD (27,51%). A porcentagem média do volume total não diferiu significativamente: PLGA/HA = 44,45%, OBD = 44,10%. Conclusão: OBD e PLGA/HA produziram volumes ósseos totais semelhantes. PLGA/HA pareceu ser completamente reabsorvido, enquanto OBD apresentou material de enxerto residual. Com as limitações devido ao pequeno tamanho da amostra, ambos os materiais foram adequados para a elevação do assoalho sinusal.