Avaliação histomorfométrica da biocompatibilidade do β-tricálcio fosfato implantado em calvária de ratos


Objetivo: Este estudo avaliou histomorfometricamente a biocompatibilidade do β -tricálcio fosfato (Cerasorb® M) implantado em defeitos ósseos críticos em calvária de ratos da linhagem Wistar com 7 mm de diâmetro. As cavidades do grupo controle foram preenchidas por coágulo e receberam a membrana de cortical de osso bovino. No grupo experimental, as cavidades foram preenchidas com o biomaterial β -TCP e, em seguida, inserida a mesma membrana usada no grupo controle. Os animais foram eutanasiados após 15 e 45 dias de pós-operatório e realizouse a remoção de toda a calota craniana. Nos achados microscópicos, a neoformação óssea esteve presente e foi comprovada pela análise histométrica onde, aos 15 dias, havia 35,3% de osso neoformado no grupo controle e 43,7% no grupo experimental e, aos 45 dias, 45,8% no grupo controle e 65,2% no grupo experimental. Aos 15 dias, entre as partículas, observou-se a presença de tecido de granulação imaturo em todos os espécimes do grupo controle (100%) e em três espécimes do grupo Cerasorb® M (60%) sem diferença significativa. No entanto, aos 45 dias, o mesmo fenômeno esteve presente apenas no grupo controle, em todos os espécimes (100%), com diferença significativa frente ao grupo experimental (p = 0,004). Um tecido de granulação maduro, aos 15 dias, apresentou-se apenas no grupo Cerasorb® M em dois espécimes (40%). No entanto, no período de 45 dias, este fenômeno esteve presente em ambos os grupos com 100%. Concluiu-se que o β -TCP é um material biocompatível e osteocondutivo.