Avaliação Histológica de Materiais de Enxerto de Seio após Falência Induzida por Peri-implantite: Uma Série de Casos


Esta série de casos humanos apresenta os resultados clínicos e histológicos de cinco casos
de peri-implantite com infecções subsequentes do enxerto. As complicações podem surgir após os
procedimentos de aumento do seio maxilar. É possível ter uma reação inflamatória, movimento do implante
dentro do seio, formação de uma quantidade insuficiente de tecido ósseo e produção de uma fístula
oroantral. As complicações que seguem os procedimentos de aumento subantral maxilar são relativamente
raras; no entanto, os riscos e benefícios de qualquer cirurgia devem ser cuidadosamente avaliados no início.
Materiais e Métodos: Nesta série de casos, examinou-se a proliferação bacteriana de implantes infectados
no biomaterial enxertado em cavidades sinusais. Em cinco casos, a remoção de implantes infectados de
seios aumentados não resultou na resolução da infecção, mas sim na persistência da mesma na área do
procedimento de aumento do seio. O exame intraoral revelou edema/vermelhidão em dois casos e edema
e formação de fístula sinusal em outro caso. Em todos os casos, foi realizada a curetagem cirúrgica dos
seios maxilares afetados. Os biomateriais inseridos e os infiltrados de tecido inflamatório que acompanham
foram totalmente removidos com curetas. A amostra foi enviada para um exame histopatológico. Os
seios maxilares foram preenchidos com um gel de plaquetas autólogo. Resultados: O osso necrótico foi
encontrado alinhando os diferentes enxertos de biomateriais. Foram observados macrófagos em torno
das partículas enxertadas. Não foram observados vasos sanguíneos. Conclusão: Esta série de casos é
a primeira a documentar a disseminação da infecção de uma superfície de implante para a totalidade do
enxerto no seio maxilar. A remoção completa de todo o material de enxerto ósseo infectado é o tratamento
de escolha nesses casos.