Avaliação da Necessidade da Profilaxia Antibiótica em Cirurgia para Instalação de Implante Unitário – Resultados Preliminares


Os antibióticos têm sido empregados profilaticamente em cirurgias para instalação de implantes osseointegráveis visando prevenir a infecção pós-operatória e consequente perda do implante. No entanto, a eficácia e a necessidade de tais protocolos não são consensuais na literatura. Objetivo: Este estudo teve como objetivo avaliar a necessidade da profilaxia antibiótica nas cirurgias de instalação de implante osseointegrável unitário em pacientes ASA 1 ou ASA 2. Materiais e Métodos: Consistiu em um ensaio clínico triplo cego, prospectivo, randomizado e placebo-controlado, que se propôs a avaliar a necessidade da profilaxia antibiótica com amoxicilina em pacientes com necessidade de instalação de implante unitário sem associação de enxerto. Foram avaliados 34 indivíduos sistemicamente saudáveis, os quais foram alocados em dois grupos: teste (n = 15), que fizeram uso de 1 grama de amoxicilina uma hora antes da cirurgia, e controle (n = 19), que ingeriram placebo 1 hora antes da cirurgia. Cada paciente foi avaliado em quatro tempos: pré-operatório, transoperatório, pós-operatório de 2 dias e de 7 dias, onde se observou a amplitude de abertura bucal, avaliação de dor referida através de escala numérica e sinais característicos de infecção (presença de fístula; ulceração na ferida cirúrgica; necrose tecidual nas bordas da ferida; deiscência do retalho cirúrgico; presença de exsudato purulento na ferida cirúrgica). Para análise estatística dos dados, aplicaram-se os testes: ANOVA/Tukey, Teste t de Student, qui-quadrado e exato de Fisher. Resultados: Os resultados demonstraram que não houve diferença (p > 0,05) para os parâmetros considerados. Conclusão: Os resultados preliminares não comprovaram necessidade de uso suplementar de antibiótico como medida de prevenção de infecção pós-operatória em cirurgia para instalação de implante unitário