Avaliação da Capacidade de Selamento da Interface de Dois Diferentes Tipos de Pilares Protéticos em um Sistema de Implante Tipo Hexágono Interno Morse por Meio de Microscopia Eletrônica de Varredura e Microinfiltração com Corante


implante tipo hexágono interno morse utilizando corante azul de toluidina (Cloreto de Tolônio) a 0,1% e espectrofotometria, e mensurar as microfendas presentes nas interfaces implantes-pilares protéticos por meio de microscopia eletrônica de varredura (MEV). Materiais e métodos: vinte implantes HiM® (DSP Biomedical®) foram divididos em grupos com e sem parafuso passante: Munhão Anatômico® (MA) e FlexCone® (FC). Foram colocados 2,6 µL do corante no interior dos implantes e instalados os pilares protéticos (30Ncm). Esses conjuntos ficaram imersos em frascos contendo água destilada para analisar o extravasamento do corante após 1, 2, 4, 6, 24, 30, 48, 72, 96, 168, 240 e 336 horas. Microfendas foram analisadas por MEV (5.000x). Resultados: nos dois grupos testados não houve diferença estatisticamente significativa na capacidade de vedação ao extravasamento do corante, o extravasamento após 72 horas não diferiu daquele observado após 1 hora e houve um aumento gradual do extravasamento em função do tempo de observação do experimento. Após 336 horas, 43,72±17,46% do volume do corante do grupo MA e 55,39±36,04% do grupo FC tinham extravasado do interior dos implantes. A dimensão média das microfendas no grupo FC foi de 3,055 ± 1,730 µm e de 3,205 ± 2,166 no grupo MA. Conclusão: análises por MEV e espectrofotometria demonstraram que não houve diferenças estatisticamente significativas nas dimensões das microfendas existentes nas interfaces pilares protéticos-implantes HiM® e nas capacidades de selamento ao extravasamento de corante dos pilares protéticos MA e FC.