Avaliação Clínica da Remodelação Óssea Marginal de Implantes Adjacentes com Restaurações Ferulizadas e Não Ferulizadas: Estudo Prospectivo de 5 Anos


Objetivo: O sucesso de restaurações em implantes unitários resultou em um aumento de implantes não ferulizados para substituir dentes adjacentes perdidos; entretanto, isso pode resultar em uma transmissão de força excessiva para o implante e para o osso, causando perda óssea. O objetivo deste estudo prospectivo foi comparar a remodelação óssea marginal de implantes adjacentes ferulizados e de implantes não ferulizados, carregados com restaurações cimentadas de até 5 anos em função. Material e Métodos: Entre 2002 e 2004, todos os pacientes que receberam três implantes adjacentes consecutivos em consultório particular e em um departamento de Implantodontia de uma universidade foram incluídos neste estudo. Todos os implantes foram instalados na região posterior da maxila. Os implantes do lado esquerdo da maxila foram restaurados com próteses cimentadas ferulizadas e os implantes do lado direito foram restaurados com próteses cimentadas não ferulizadas. A reabsorção óssea marginal foi mensurada em radiografias intraorais anuais por 5 anos. Os dados foram analisados estatisticamente com teste U de Mann-Whitney e teste de duas amostras Kolmogorov-Smirnov para identificar as diferenças entre implantes com restaurações ferulizadas e não ferulizadas. Resultados: Cento e trinta e dois implantes foram instalados em 44 pacientes. Dois pacientes (6 implantes no total) não terminaram o estudo. Três implantes falharam na segunda etapa cirúrgica. Dos 123 implantes restantes, 63 foram restaurados com próteses cimentadas ferulizadas e 60 foram restaurados com próteses cimentadas não ferulizadas. As alterações médias do nível ósseo marginal no acompanhamento de 5 anos foram –0,7 ± 0,2 mm para as próteses ferulizadas e –0,8 ± 0,2 mm para as próteses não ferulizadas. Conclusões: A perda óssea peri-implantar marginal em torno de implantes não ferulizados no presente estudo foi estatisticamente equivalente àquela observada nos implantes ferulizados. Implantes múltiplos não ferulizados podem ser instalados com sucesso em muitas situações clínicas em um esforço para otimizar a estética e contornar o problema das infraestruturas que não se encaixam passivamente.