Aumento Vertical do Osso Usando Técnica de Anel com Três Materiais Diferentes em Mandíbula de Ovelha


Objetivos: O objetivo deste estudo foi examinar as alterações volumétricas e propriedades de osseointegração na área aumentada da técnica de anel usando diferentes tipos de material de enxerto ósseo em osso mandibular de ovelhas. Materiais e Métodos: Três materiais diferentes (formas colunares, 7 mm de diâmetro e 3 mm de altura) foram estabilizados com implantes dentários com uma superfície virada no osso mandibular de ovelhas finlandesas de Dorset: grupo A, osso autógeno; grupo B, osso bovino; grupo C, substituto ósseo bifásico. Os animais foram eutanasiados após 5 semanas (N = 6). Dados de imagem tridimensional por escaner digital oral foram tirados na cirurgia e sacrifício, e a alteração de volume do material foi calculada. As amostras ósseas foram fixadas em formalina e desidratadas em etanol. Amostras de resina foram submetidas ao seccionamento não descalcificado e à análise histológica e histomorfométrica (alteração da área óssea e material, contato osso-implante [COI]). Resultados: Na análise de imagens tridimensionais (3D), o grupo A mostrou uma porcentagem estatisticamente maior de materiais remanescentes em comparação com os grupos B e C. A observação histológica não mostrou novas formações ósseas ao redor dos implantes em todos os grupos, especialmente no sítio maxilar do implante na área aumentada. Na análise histomorfométrica, o grupo A apresentou percentual estatisticamente maior da área óssea (AO) em relação aos grupos B e C; no entanto, em todos os grupos, o contato osso-implante (COI) apresentou valores baixos e não houve diferenças estatísticas entre os grupos. Conclusão: Os resultados deste estudo sugeriram que o osso autógeno mantinha o volume ósseo ao redor do implante dentário usando a técnica de anel, e o impacto das propriedades da superfície foi de alguma importância; A osseointegração com a superfície virada na área aumentada mostrou baixos valores de COI em todos os grupos.