Aumento Ósseo Vertical Utilizando Proteína Morfogenética Óssea Recombinante, Enxerto Alógeno de Osso Mineralizado e Malha de Titânio: Estudo Retrospectivo com Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico


Este estudo retrospectivo avaliou o uso de um enxerto composto de proteína morfogenética óssea recombinante humana tipo 2 (rhBMP-2) e enxerto alógeno de osso mineralizado protegido por uma malha de titânio para aumento ósseo vertical. Materiais e Métodos: Foi realizada uma análise dos dados dos prontuários de pacientes de quatro cirurgiões bucomaxilofaciais dos Estados Unidos que necessitavam de aumento ósseo vertical antes do tratamento com implantes. O aumento vertical foi realizado com rhBMP-2 em uma esponja de colágeno absorvível (ACS) e enxerto alógeno particulado. A tomografia computadorizada de feixe cônico foi utilizada para mensurar o aumento ósseo vertical com a utilização desta técnica. Resultados: Foram realizados dezesseis aumentos verticais do rebordo em 15 pacientes. O ganho ósseo vertical máximo variou de 4,4 a 16,3 mm. O ganho máximo de osso verticalmente foi de, em média, 8,53 mm. O procedimento permitiu a colocação de implantes em todos os pacientes. Quarenta implantes foram inseridos nos rebordos enxertados após um período de cicatrização mínimo de 6 meses. Todos os implantes integraram e foram utilizados como suporte protético.
Conclusão: Este estudo sugere que o uso da rhBMP-2 e enxerto alógeno de osso mineralizado protegido por uma malha de titânio proporciona um aumento ósseo vertical favorável para a instalação de implantes dentários. Int J Oral Maxillofac Implants – edição em português 2016;1:362-367. Referência original: Int J Oral Maxillofac Implants 2015;30:202-207. Doi: 10.11607/jomi.3977.