Análise por Microscopia Eletrônica de Varredura da Adaptação de Pilares Unitários Aparafusados, Desenhados e Fabricados com Auxílio de Computador Após Ciclagem Mecânica


Objetivo: Medir o microespaço entre implantes dentários e pilares personalizados fabricados utilizando diferentes métodos de desenho e fabricação assistidos por computador (CAD/CAM) antes e após ciclagem mecânica. Materiais e Métodos: O software CAD (Dental System, 3Shape) foi usado para projetar um pilar personalizado para uma coroa unitária, aparafusada, compatível com um implante dentário externo de hexágono de 4,1 mm. O arquivo de estereolitografia resultante foi enviado para fabricação usando quatro métodos CAD /CAM (n = 40): fresagem e sinterização de dióxido de zircônio (grupo OZ), cromo-cobalto (Co-Cr) sinterizado via fusão seletiva a laser (grupo FSL), liga de Co-Cr usinada totalmente sinterizada (grupo MM) e pó de liga de Co-Cr aglutinada, usinada e sinterizada (grupo AM). Pilares de titânio pré-fabricados (grupo TI) foram usados como controles. Cada pilar foi colocado em um implante dentário de 4.1 × 11 mm (SA411, SIN) inserido em um bloco de alumínio. As medidas foram realizadas por meio de microscopia eletrônica de varredura (MEV) (x 4.000) em quatro regiões da interface implante-pilar (IIP) e a uma distância relativa de 90 graus uma da outra. Os espécimes foram envelhecidos mecanicamente (1 milhão de ciclos, 2 Hz, 100 N, 37° C) e a largura do IIP foi medida novamente usando a mesma abordagem. Os dados foram analisados por análise de variância de dois critérios, seguida do teste de Tukey. Resultados: Após a ciclagem mecânica, os melhores resultados de adaptação foram obtidos nos grupos TI (2,29 ± 1,13 μm), AM (3,58 ± 1,80 μm) e MM (1,89 ± 0,98 μm). Um resultado de adaptação significativamente pior foi observado para os grupos FSL (18,40 ± 20,78 μm) e OZ (10,42 ± 0,80 μm). A ciclagem mecânica teve um efeito marcante apenas nos espécimes AM, o que aumentou significativamente o microespaço no IIP. Conclusão: Pilares personalizados fabricados usando liga de Co-Cr usinada totalmente sinterizada e pó de liga de Co-Cr usinado, aglutinado e sinterizado demonstraram os melhores resultados de adaptação no IIP, semelhantes aos obtidos com pilares de titânio pré-fabricados comercIIPs após a ciclagem mecânica. A adaptação de pilares personalizados feitos por meio de FSL ou fresagem e sinterização de dióxido de zircônio foram piores antes e depois da ciclagem mecânica.