Análise da Exatidão em Modelos de Gesso Após Diferentes Técnicas de Captura em Implantodontia

Este estudo avaliou quatro diferentes técnicas de moldagem de captura em Implantodontia quanto à exatidão dimensional dos modelos de gesso. Foram obtidos quatro grupos (n=10): PF- transferentes unidos com resina Pattern e fio dental; PP- transferentes unidos com barras de resina acrílica pré-fabricada e resina Pattern; OC- transferentes unidos com elastômero para registro de mordida de polivinilsiloxano; MP- transferentes unidos com haste metálica e resina Pattern. As tensões induzidas aos implantes e desadaptação marginal foram analisados individualmente para verificar a normalidade dos dados, utilizando o teste Kolmogorov-Smirnov, a qual não foi confirmada, optando-se então por testes não paramétricos. Os dados de deformação foram tabulados e submetidos ao teste de Kruskal-Wallis (p = 0,05) para comparação das variáveis desadaptação total, tensão total, cervical e apical entre os implantes (1, 2, 3 e 4) e, quando se constatou diferença significativa, utilizou-se o teste de Dunn para realização da comparação múltipla. Para desadaptação, houve diferenças significativas entre os grupos nos implantes 2, 3 e 4 (p=0,0018; <0,0001 e 0,0005, respectivamente). Diferenças ocorreram no implante 2 entre o grupo PF/PP (17,3 μm) e o grupo PF/OC (17,65 μm); no implante 3, entre o grupo PF/MP (19,65 μm) e o grupo PF/OC (24,8 μm); e no implante, 4 entre o grupo PF/MP (15,5 μm) e o grupo PF/OC (14 μm). Com relação à tensão de cisalhamento total, houve diferença significativa entre os grupos no implante 2 (p=0,002). As diferenças ocorreram entre o grupo MP/PP (40,0 kgf) e o grupo MP/OC (46,4 kgf). Não foram observadas diferenças estatísticas entre os grupos para os implantes 1, 3 e 4 (p= 0,141; 0,264; 0,058, respectivamente). O grupo MP apresentou os menores valores de tensão cisalhante e o grupo OC os maiores. Todos os métodos de esplintagem produziram alterações no modelo de trabalho para prótese total sobre 4 implantes.