Análise Comparativa da Infiltração Bacteriana na Interface Implante/Pilar de Implantes com Conexão Externa ou Interna. Estudo In Vitro


Várias pesquisas vêm sendo desenvolvidas com implantes dentários a fim de investigar a microfenda ou microgap presente entre o implante e o pilar protético onde pode ocorrer o acúmulo de microrganismos, crescimento bacteriano e, consequentemente, a perda óssea peri-implantar. Objetivo: O objetivo nesta pesquisa foi avaliar, de forma comparativa, a infiltração bacteriana in vitro na interface entre pilar e implante, comparando-se dois tipos de conexões protéticas: Hexágono Interno (HI) e Hexágono Externo (HE). Foram utilizados quarenta e dois implantes, inoculados com bactéria Escherichia coli, em meio de cultura Brain Heart Infusion (BHI) a 37ºC por 72 horas. A análise estatística foi realizada por meio do método qui-quadrado, com índice de significância p<0,05. Os dois grupos apresentaram infiltração bacteriana, entretanto, com diferença significativa, onde o grupo 1 (HI) apresentou 26,66% de conjuntos contaminados e o grupo 2 (HE), apresentou 78,57%, revelando haver diferenças estatisticamente significativas em todos os períodos (Hexágono Interno x Hexágono Externo/ 24h-p=0,016; 48h-p=0,005; 72h-p=0,005). Com base nos dados pode-se concluir que os dois grupos apresentaram infiltração bacteriana, sendo os valores mais altos no grupo II.