Alterações Ósseas ao Redor de Implantes Dentários Tardios em Grandes Defeitos Ósseos Previamente Preenchidos com Tecido de Granulação Após a Extração: Um Estudo com Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico


Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a nova regeneração óssea ao redor de implantes tardios instalados em grandes defeitos ósseos, preenchidos com tecido de granulação, utilizando tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) com um acompanhamento de 3 anos. Materiais e Métodos: Os pacientes apresentavam grandes defeitos ósseos após a extração dos dentes. O tecido de granulação foi deixado nos defeitos e não foram utilizados enxertos. Os exames de TCFC foram realizados antes da extração dos dentes e após a colocação dos implantes (3 meses após a extração) e as medidas do volume ósseo foram então avaliadas 3 anos após a instalação dos implantes. Resultados: Três meses após a extração, a TCFC revelou um ganho de volume ósseo, tanto para sítios com raiz única quanto para raízes múltiplas: calculou-se um nível ósseo médio total de 8,34 ± 3,18 mm e os implantes foram então instalados. No acompanhamento, 3 anos depois, a TCFC revelou uma manutenção óssea, com níveis médios de 10,47 ± 3,68 mm. Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os níveis ósseos aos 3 meses e  aos 3 anos, entre os defeitos maxilares e mandibulares, nem entre os sítios de dentes com raiz única ou raízes múltiplas. Conclusão: A análise das tomografias computadorizadas apresentou um resultado bem-sucedido em implantes tardios instalados em grandes defeitos ósseos com acompanhamento de 3 anos.