Alterações da Espessura da Membrana Sinusal Após Levantamento Lateral do Assoalho do Seio: Um Estudo Radiográfico


Objetivo: Monitorar, radiograficamente, o edema da membrana sinusal após a cirurgia de levantamento do seio maxilar em períodos de cicatrização curtos e longos. Materiais e Métodos: 32 levantamentos laterais de assoalho do seio foram realizados em 26 pacientes que almejavam reabilitação implantossuportada na maxila posterior,utilizando piezocirurgia. As membranas sinusais foram enxertadas usando substitutos ósseos sintéticos de fosfato de cálcio e o volume do enxerto foi medido em centímetros cúbicos para cada caso. Tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) foi realizada no pré-operatório, em todos os pacientes e para cada seio enxertado no 1º dia (n = 8), 2º dia (n = 9), 3º dia (n = 8), ou 7º dia (n = 7) após a cirurgia. Uma TCFC de controle foi então realizada para todos os pacientes no 3º, 6º e 12º mês após a cirurgia. A espessura da membrana do seio foi medida em cortes transversais de TCFC em nove pontos padronizados por seio, antes do levantamento lateral do seio maxilar e em todos os exames pós-operatórios. Resultados: O valor médio da espessura da membrana do seio foi de 0,73 mm, antes da cirurgia, e 5 mm, 4,1 mm, 5,9 mm e 7 mm no 1º, 2º, 3º e 7º dia após a cirurgia, respectivamente. As medidas de TCFC pós-operatórias combinadas da espessura da membrana na primeira semana foram de 5,4 mm, em seguida 1,3, 0,68, e 0,39 mm aos 3, 6 e 12 meses, respectivamente, após a cirurgia. A espessura da membrana aumentou significativamente na primeira semana depois da cirurgia e diminuiu significativamente de forma gradual nos meses 3, 6 e 12 em todos os grupos (P < 0,001). Na primeira semana de pós-operatório, as medições mostraram um aumento significativo na espessura da membrana no 3º dia em comparação com os resultados no 1º e 2º dia (P < 0,001), e no 7º dia em comparação com todos os outros períodos de tempo (P < 0,001). A espessura da membrana em 2 dias não alterou significativamente em comparação com as medições de 1 dia. O volume maior de enxerto foi positivamente correlacionado com o aumento da espessura da membrana após a cirurgia em todos os pontos temporais (n = 32; r = 0,527; P < 0,001). Conclusão: Após a cirurgia de levantamento lateral do seio maxilar, é observado edema transitório da membrana sinusal. Este atinge um valor de pico no 7º dia após a cirurgia e desaparece por completo após alguns meses. Esse edema está correlacionado com a extensão do levantamento do seio maxilar.